Google Notícia

Com o isolamento da pandemia apps de namoro crescem Exacerbadamente

Fonte:tecmundo

Todo mundo sabe que durante a pandemia da Covid-19 alguns aplicativos cresceram muito, Logo o isolamento social fez com que as pessoas se mantivessem em casa fazendo assim com que elas usassem cada vez mais do uso do smartphone e tendencialmente o uso dos apps.

Em meio a tantos aplicativos alguns deles se destacaram, como os de namoro, já que as pessoas procuravam formas de se conectar e de conhecer sua alma gêmea através da internet, e um desses app que fez sucesso foi o Tinder que vendo o crescimento em meio a pandemia implementou vídeos no seu perfil, ferramenta essa que ajudaria os seus usuários a se conhecerem melhor, se expressarem e  baterem papos ao vivo. Até então esse tipo de ferramenta não era comum em aplicativos de namoro, e parece que chegou pra ficar já que quem usa aprovou e gostou muito.

O Tinder vendo que as pessoas haviam gostado da ferramenta fez uma pesquisa e confirmou que metade dos usuários procuravam chats de vídeo durante a pandemia e mais de 40% dessas pessoas indicaram que mesmo depois do isolamento social continuarão a usar esse recurso.

 

Fonte:tecmundo

Bom já que é para agradar os usuários e com pensamento no fim das restrições, alguns serviços criaram formas de ajudar os pretendente a conhecerem suas paqueras  foi isso que Tinder, OkCupid, Hinge e Bumle fez uma vez  que adicionarão um crachá de vacinados aos perfis imunizados, isso foi feito em parceria com o governo dos Estados unidos e  Reino unido.

Com o alto crescimento dos namoros virtuais durante a esses tempos de Corona vírus, cresceu também a vunerabilidadede de abusos nas plataformas, segundo a BBC. Uma pesquisa foi feita pela Pew Research Center e mostrou que 57% das mulheres sofreram algum tipo de assédio em 2020.

Para evitar esse tipo de constrangimentos alguns apps como Tinder e Bumble tem se esforçado a investir em tecnologias capazes de reduzir esse tipo de abuso. A inteligencia artificial é a aposta em detecção de mensagens e linguagens abusivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.